A família de blocos cerâmicos é o conjunto de componentes necessários para a construção das alvenarias e suas amarrações, que tem como característica comum à mesma largura.

Neste artigo discutiremos a modulação, parte mais importante do projeto em alvenaria estrutural, exemplificando os principais tipos de blocos cerâmicos disponíveis.

A ABNT NBR 15270-1 define o módulo dimensional aplicado aos blocos cerâmicos como M = 10 cm, permitindo também os submódulos M/2 e M/4. De acordo com a mesma norma, as dimensões de fabricação serão os valores de largura (L), altura (H) e comprimento (C), que identificam um bloco, correspondentes a múltiplos e submúltiplos do módulo dimensional M menos 1.

A família de blocos cerâmicos é o conjunto de componentes necessários para a construção das alvenarias e suas amarrações, que tem como característica comum à mesma largura. As dimensões de fabricação mais comuns para blocos cerâmicos estruturais são as famílias 11,5cm, 14 cm e 19 cm, conforme Tabela 1. A família mais utilizada é a de 14 cm. Porém esta família de blocos é dividida em duas categorias com comprimento de 29 cm e comprimento de 39 cm. Desta forma são os blocos principais, por definição, os mais utilizados na elevação das paredes, que irão definir a “modulação” do projeto. No caso dos blocos cerâmicos se convencionou o comprimento, assim, o módulo a ser utilizado será exatamente a medida do seu comprimento acrescido de 1cm (devido a espessura da junta vertical) dividido por 2, ou, a medida da meia peça da família mais 1cm.

No caso das dimensões do projeto arquitetônico não serem modulares, quanto menor o módulo utilizado mais fácil será o ajuste necessário. Portanto as dimensões múltiplas de 15 cm são as mais adequadas. Para uma modulação mais racional, devemos utilizar o mínimo de peças especiais possível, porém, algumas peças são importantes para a melhor distribuição das cargas verticais e consequentemente o melhor desempenho da alvenaria.

Modulações Comuns em Blocos Cerâmicos Estruturais
Dimensão de fabricaçãoDimensão modular“Modulação” ou dimensão dos vãos na planta de arquitetura
11,5x19x3912,5×20Em geral múltiplos de 20 cm, podem aparecer medidas diferentes
14x19x2915×30Múltiplos de 15 cm
14x19x3915×40Em geral múltiplos de 20 cm, podem aparecer medidas diferentes
19x19x3920×40Múltiplos de 20 cm

Tabela 1 – Modulações comuns

Modulação horizontal – Primeira fiada

Sobre a planta baixa já com as medidas modulares, inicia-se a distribuição dos blocos da primeira fiada, tomando-se como base uma extremidade. Segue-se desenhando sucessivamente módulos de 14 cm + 1cm ou 19 cm +1 cm de junta até os encontros de paredes, onde deverão ser observadas as amarrações-padrão. Deve-se seguir amarrando cômodo por cômodo até o fechamento total da edificação.

A distribuição dos blocos principais no plano da parede deve ser feita com “juntas amarradas” conforme Ilustração 1, ou seja, as juntas verticais devem se defasar de no mínimo 1/3 do comprimento dos blocos e nunca com “juntas a prumo”, esta solução não é permitida em alvenaria estrutural.

Ilustração 1 – Exemplo de juntas amarradas

Para a ligação de duas paredes, a melhor solução é a chamada amarração direta, onde é feito o intertravamento dos blocos, conforme Ilustração 2.

Ilustração 2 – Amarração direta

A amarração indireta onde a junta vertical do encontro das duas paredes fica “a prumo” é permitida desde que devidamente ligada com armadura normalmente constituída por grampos metálicos ancorados em furos verticais adjacentes grauteados.

A seguir ilustraremos a modulação de primeira fiada e detalhes para as medidas mais comuns de blocos cerâmicos.

Ilustração 3 – Amarração indireta

Modulação horizontal – Bloco 11,5 x 19 x 39

Este bloco é fabricado em várias regiões do país e pode ser uma boa alternativa para viabilização de edifícios de até dois pavimentos. A norma ABNT NBR 15812 de projetos em alvenaria estrutural de blocos cerâmicos não admite parede estrutural com espessura inferior a 14 cm para edificações com mais de dois pavimentos. Desta forma, o limite para uso deste bloco, desde que a esbeltez da parede seja menor ou igual a 24 são dois pavimentos em alvenaria não armada.

Para a amarração direta das paredes no canto, é utilizado o bloco especial 11,5 x 19 x 31,5, já as paredes de encontro em “T” o bloco deveria ter dimensões 11,5 x 19 x 51,5 e, esta peça não é fabricada, obrigando o projetista a trabalhar com amarração indireta neste encontro. A Ilustração 4 mostra a primeira fiada utilizando bloco 11,5 x 19 x 39.

Ilustração 4 – exemplo de primeira fiada bloco 11,5 x 19 x 39

Modulação horizontal – Bloco 14 x 19 x 29

Esta modulação é sem dúvida a mais adequada e fácil de projetar e executar, mais intuitiva, a largura do bloco é metade do comprimento e nos encontros de paredes de canto não se utiliza peças especiais. Nos encontros de paredes em “T” e em “Cruz” é utilizado o bloco de amarração 14 x 19 x 44.

Ilustração 5 – Detalhes de amarração utilizando bloco 14 x 19 x 29

Para modular os vãos, basta criar uma malha quadricular de 15 x 15 cm, e dispor os blocos sobre esta malha, pois todas as dimensões horizontais serão múltiplas de 15 cm as ilustrações 6 e 7 mostram a primeira e segunda fiadas da modulação 15.

Ilustração 6 – Primeira fiada módulo 15 – bloco 14x19x29
Ilustração 7 – Segunda fiada módulo 15 – bloco 14x19x29

Modulação horizontal – Bloco 14 x 19 x 39

Esta modulação tem o inconveniente do comprimento não ser proporcional à largura do bloco. Para a amarração direta nos cantos é necessário o uso do bloco 14 x 19 x 34 e para a amarração direta no encontro em “T” utiliza-se o bloco 14 x 19 x 44, conforme ilustrações abaixo.

Ilustração 8 – Detalhe da amarração utilizando blocos 14 x 19 x 39
Ilustração 9 – Primeira fiada módulo 20 – bloco 14x19x39

Modulação horizontal – Bloco 19 x 19 x 39

O bloco 19 x 19 x 39 por ter a largura também à metade do comprimento, proporciona amarração direta no canto sem a necessidade de peças especiais. O encontro em “T” deve ser feito através de amarração indireta. Este tipo de bloco é mais utilizado em galpões e nas paredes com pé direito alto.

No próximo artigo falaremos do projeto em alvenaria estrutural, onde será descrito a modulação vertical, paginação, detalhes técnicos e compatibilização de projetos.