Normalmente tratamos neste espaço das tendencias em tecnologias para as chamadas “casas inteligentes e conectadas”. Desta vez, optamos por abordar uma importante vertente do mercado, nem sempre devidamente considerada.

Trata-se de uma relevante alavanca para o mercado de Automação Residencial e Predial: a adoção destas tecnologias pelo mercado da construção civil. Quando uma nova edificação já traz em seu projeto o uso de novas soluções, a possibilidade de multiplicação é imediata, pois além de serem utilizadas nas áreas comuns, podem se propagar para todas as unidades do empreendimento.

No caso do Brasil, podemos considerar que este estimulo ainda não aconteceu como poderia. Alguns fatores são conhecidos, entre os quais a latência observada na adoção de novas tecnologias na área da construção e que não se restringem logicamente ao caso da Automação, mas se estendem a novos métodos construtivos, à gestão dos canteiros de obras e diversas inovações ainda em curso.

O ciclo da construção, desde o início de um novo projeto até a sua conclusão e posterior entrega ao uso, cobre um período de vários anos normalmente. Assim, desde a inclusão de uma mudança significativa ainda na fase de projeto até que ela seja testada e aprovada no uso rotineiro é comum decorrer um período mais longo do que em outras industrias mais “ágeis” na adoção de novas tecnologias.

Portanto, é preciso que um novo ciclo se inicie de forma sustentada e bem planejada para que uma tecnologia inovadora possa ser considerada efetiva para sua adoção em regime. Por que fizemos esta introdução? Acaba de ser iniciado um estudo no mercado norte americano através da Parks Associates (uma empresa reconhecida mundialmente na área de estudos e pesquisas do mercado de tecnologias) a respeito da adoção pelos construtores das mais recentes tecnologias de “casas inteligentes” em seus projetos. E o que motivou este estudo foi a constatação de ao menos 65% dos construtores de empreendimentos residenciais multiuso reportaram que seu modelo de negócio adotou tecnologias de casas inteligentes para diferenciar seus empreendimentos em 2020.

E esta é uma constatação muito relevante! Lembrando que o mercado norte americano normalmente é um forte influenciador de tendências locais, podemos considerar que esta realidade está cada vez mais próxima aqui no Brasil. Já há algum tempo podemos notar que incorporadores inovadores têm se aproveitado do uso de novas tecnologias para destacar e valorizar os seus empreendimentos no competitivo mercado imobiliário. No entanto, ainda não é notória esta constatação pela maioria dos investidores no setor.

O estudo da Parks destaca duas principais vantagens da adoção de novas tecnologias, principalmente nos empreendimentos residenciais do tipo “multiuso”, ou seja, com diferentes tipos de unidades habitacionais (áreas uteis variadas) e uso (propriedade, locação continuada ou locação temporária), ou seja: eficiência operacional e aumento da receita de locação (através da maior taxa de ocupação e retenção dos locatários).

No momento, as grandes concentrações urbanas no Brasil estão tornando este tipo de empreendimento cada vez mais comum, sempre com o objetivo de reduzir a quantidade de deslocamentos, viabilizando habitações próximas do local de trabalho, estudo e convivência dos seus moradores. Portanto, esta é uma situação altamente significativa para que sejam implantadas tecnologias conforme as que estão listadas no estudo mencionado, a saber:  sistemas de gestão predial, controle de acesso, segurança patrimonial, serviços de banda larga, gerenciamento inteligente de redes WiFi, gerenciamento de uso de energia e da água, além de toda a gama de produtos e soluções para casa inteligente visando conforto e segurança dos seus usuários.

Podemos dizer que sentimos otimismo nestas previsões. Mas, não basta apenas aguardar que estas tendências se confirmem, é preciso se preparar para oferecer aos investidores da construção civil não só produtos atualizados, como serviços de alta qualidade, que envolvem projeto, especificação, instalação e programação. Uma vez preparados e capacitados, os integradores de Automação Residencial e Predial estarão aptos a gerar novos negócios em tendência crescente e continuada.