Vamos tentar usar a imaginação e visualizar um município melhor para toda a população das grandes cidades brasileiras, mesmo que alguns desejos possam parecer uma utopia, é importante que façamos este exercício. Os problemas são comuns na maioria das cidades, ou seja:

Falta de segurança, política publica desestruturada, trânsito caótico, problemas na coleta de lixo, falta de vagas de estacionamento, ônibus demorado,  postos de saúde e hospitais sucateados, e por ai vai.

Sonhamos com os ideais de uma cidade democrática, inclusiva, sustentável, produtiva, educadora e habitável. Assim, seu conteúdo se estrutura com base na união desta cidade que queremos com os seguintes fundamentos estratégicos inspirada na Carta Mundial pelo Direito à Cidade:

  • Exercício pleno dos direitos humanos na cidade. Uma cidade na qual todas as pessoas (crianças, jovens, adultos, idosos, mulheres e homens) desfrutem e realizem todos os direitos humanos e liberdades fundamentais, mediante a construção de condições de bem-estar coletivo com dignidade, equidade e justiça social.
  • Função social da cidade, do solo e da propriedade. Uma cidade onde seus habitantes participem para que a distribuição do território e as regras para seu uso garantam o usufruto equitativo dos bens, serviços e oportunidades que a cidade oferece. Uma cidade na qual se priorize o interesse público definido coletivamente, garantindo um uso socialmente justo e ambientalmente equilibrado do território.
  • Gestão democrática da cidade. Uma cidade onde seus habitantes participem de todos os espaços de decisão até o mais alto nível de formulação e implementação das políticas púbicas, assim como no planejamento, orçamento público e controle dos processos urbanos.
  • Produção democrática da cidade e na cidade. Uma cidade onde se resgate e fortaleça a capacidade produtiva de seus habitantes, em especial das camadas populares, fomentando e apoiando a produção social do hábitat e o desenvolvimento de atividades econômicas solidárias.
  • Manejo sustentável e responsável dos recursos naturais, patrimoniais e energéticos da cidade e de seu entorno. Uma cidade onde seus habitantes e autoridades garantam uma relação responsável com o meio ambiente de modo que possibilite uma vida digna para indivíduos, comunidades ou povos, em igualdade de condições e sem afetar áreas naturais, reservas ecológicas, outras cidades nem as futuras gerações.
  • Gozo democrático e equitativo da cidade. Uma cidade que fortaleça a convivência social, o resgate, a ampliação e melhoramento do espaço público e sua utilização para o encontro, o ócio, a criatividade e a manifestação crítica das ideias e posições políticas.

Promover consciência e consensos sobre as responsabilidades que os cidadãos devem assumir para construir uma cidade para todos, os compromissos e medidas que devem ser assumidos pela sociedade civil, pelos governos locais e nacionais.

 

Artigo anteriorA Reconstrução do Mercado Imobiliário
Próximo artigoDicas de como Construir Casas em Estruturas Metálicas
Profissional voltado para área de negócios imobiliários, com sólida experiência de mais de 30 anos no Desenvolvimento do Produto Imobiliário, atuando no setor em nível regional e nacional, em empresas de significativa expressão no mercado. • Habilidade em gestão e concepção da filosofia organizacional na área de produto imobiliário, atuando no acompanhamento dos processos e definição de metodologia de atuação. • Habilidade na percepção e identificação de oportunidades de negócios (terrenos/glebas) e sua conseqüente viabilização, através de pesquisa de mercado, concepção do produto, estudos de viabilidade e estruturação financeira do negócio atendendo a parâmetros previamente definidos .