Por Agência CBIC. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na última sexta-feira (27) o resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD Contínua, referente ao 3º trimestre de 2020. O número de pessoas ocupadas na Construção Civil passou de 5,323 milhões no segundo trimestre para 5,722 milhões no terceiro trimestre.

Portanto, o setor registrou incremento de 399 mil ocupações. A Construção foi o setor com os resultados mais positivos no mercado de trabalho no terceiro trimestre de acordo com a PNAD Contínua.

A taxa de desemprego no país atingiu 14,6%, o maior patamar da série histórica da pesquisa, iniciada em 2012.  De acordo com a economista da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Ieda Vasconcelos, no mesmo trimestre do ano passado essa taxa era de 11,8%. “O número de desempregados no país totalizou 14,1 milhões enquanto no 2º trimestre era 12,791 milhões. Assim, de julho a setembro o país contabilizou mais 1,3 milhões de desocupações”, destaca.

A economista lembra ainda que a PNAD Contínua envolve o mercado de trabalho formal e informal, sendo que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged já demonstrava o incremento do segmento formal.

“Agora com os resultados da PNAD Contínua observa-se também a maior movimentação no segmento informal do setor. Em função das medidas de flexibilização, as pequenas obras e reformas retornaram, o que ajuda a justificar este resultado. É importante destacar que no 1º trimestre do ano o número de pessoas ocupadas no setor da construção era de 6,380 milhões”, explica Vasconcelos.