A falta da obrigatoriedade legal para elaboração de projeto do Sistema de Segurança Condominial, com respectivo memorial descritivo e plantas, integrando seus diversos subsistemas ao projeto de arquitetura e paisagismo, resulta em improvisações e adaptações. Condições certamente inadequadas para todas as partes envolvidas. O sistema de segurança em condomínios residenciais representa a integração dos seguintes subsistemas:

Subsistema de Controle de Acesso de Pedestres ao Empreendimento.
Todas as barreiras com respectivos recursos de identificação e decisão de lógica de permissão ou impedimento portões, clausuras, catracas, torniquetes, portas giratórias, dentre outras. Exemplo: Leitores biométricos – digital ou facial, que desbloqueiam as barreiras físicas.

Subsistema de Controle de Acesso de Veículos
Barreiras com tecnologia de reconhecimento do veículo e posterior identificação do condutor, com ou sem aplicação de softwares responsáveis por controle lógico do número de vagas de estacionamento e permissões regulamentares.

Subsistema de Controle de Acesso ao interior do Edifício
Aplicação de meios restritivos nas portas através das quais ocorrem o acesso ao interior da(s) torre(s), nas áreas comuns dos pisos inferiores, incluindo área de garagem. Automatizadas e dotadas de identificação por biometria.

Subsistema de Controle de Acesso às Unidades Autônomas (a partir do hall de entrada dos apartamentos social e serviços).
Recursos eletrônicos e mecânicos de aplicação de responsabilidade exclusiva do morador e/ou proprietário.

Subsistema de Restrição, Inibição e Comunicação de Alteração de Padrão
Representada por equipamentos aplicados em locais estratégicos com objetivo de detectar, alertar, alarmar e/ou reagir produzindo comandos lógicos a circuitos pré-estabelecidos. Exemplo: Cerca eletrificada aciona câmeras.

Subsistema de Circuito Fechado de TV
Corresponde ao todos os recursos e meios aplicados na Captação, Gravação e Aplicação Inteligente de Imagens obtidas por câmeras dotadas ou não analíticos de vídeo.

Subsistema de Iluminação
Compreende ao atendimento do projeto luminotécnico para aplicação na visão humana e tecnológica.

Subsistema de Comunicação
Compreende recursos e meios de contato de voz e/ou dados aplicados na transmissão de informações entre moradores, visitantes, equipe operacional local e/ou remota, utilizando tecnologia analógica, digital, física, sem fio (WiFi) ou informática. Importante: Interfones instalados em todos os pontos de acesso.

Subsistema da Central de Integração da Infraestrutura eletroeletrônica
Os diversos circuitos aplicados nos subsistemas convergem para um ambiente comum – Sala Técnica -, aonde são integrados, bem como os serviços de manutenção. Local requer climatização estabelecida por normas técnicas e adequada para conservação dos equipamentos, além do requerido controle de acesso contra vandalismos e sabotagens.

Subsistema de Operações
Representada por ambiente, local ou remoto, a partir do qual são operados os subsistemas citados anteriormente. Local pode ser uma Portaria e/ou Central de Comando Operacional – CCO. Apresentam poder de decisão para atuar nas rotinas, nas exceções e contingências. É climatizada em condições apropriadas à presença humana. Requer acesso restrito.


Em comum a todos estes subsistemas temos equipamentos, temos a infraestrutura elétrica e lógica, com correspondentes tubulações, cabeamentos, aterramentos, agilidade de manutenção, redundâncias e previsão de ampliações. Fundamental que o conjunto do estado desta arte sejam integrados ao conjunto ao todo dos condomínios residenciais, desde concepção do projeto arquitetônico. 

Conte com especialistas! Para colocar contribuir, desde o projeto ou ainda antes de ser contextualizado, com acessos seguros e sem retrabalho, sem perdas para investidores e fidelização de compradores, clique aqui e fale com nossos especialistas. Estão prontos para oferecer a melhor assessoria em segurança para condomínios residenciais, para arquitetos e incorporadoras.