Por: Guilherme Guilherme, EXAME

O Ibovespa avançou 0,40%, nesta quarta-feira (11) e foi a 103.445,60 pontos. Impulsionado por informações que valorizaram ativos do setor de construção civil e varejo, o índice teve sua quinta alta dos últimos seis pregões e atingiu a maior pontuação em um mês. Com esse avanço, o Ibovespa fica ainda mais próximo de voltar aos níveis recordes atingidos em julho deste ano, quando chegou a fechar com mais de 105 mil pontos.

Logo na abertura do pregão, as ações de empresas da construção civil dispararam após o jornal O Estado de S. Paulo noticiar que o governo federal vai fazer uso do FGTS para custear todo o subsídio do programa Minha Casa, Minha Vida. Em agosto, empresários do setor chegaram a se reunir para discutir os atrasos nos repasses por parte da União, que chegavam a 500 milhões de reais na época. Com a medida, devem ser destravados 26,2 bilhões de reais, segundo a publicação.

Na visão dos analistas da Guide Investimentos, a empresa mais beneficiada com a medida é a MRV, que viu seu valor de mercado subir 9,02% neste pregão.

“O ruído recente em torno do atraso dos repasses de verba pelo governo as construtoras, aliado a redução do orçamento para o programa para 2020 pressionaram os ativos do setor”, escreveram os analistas da Guide em comunicado aos clientes.

As ações das construtoras Tenda Direcional, que também participam do programa federal, subiram 7,38% e 6,63%, respectivamente. Mesmo focada em empreendimentos de padrão mais elevado, os papéis da Cyrela nadaram na onda de otimismo que atingiu as construtoras e subiram 2,28%. As ações da Eztec também se apreciaram e fecharam em alta de 2,56%.

Já o que motivou a valorização das varejistas foi o aumento de 1% das vendas do varejo no mês de julho, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã desta quarta.

Para o sócio diretor do Modalmais, Ronaldo Guimarães, a divulgação foi “inegavelmente positiva” e levanta dúvida sobre projeções mais pessimistas de retração no 3º trimestre.

No setor, o grupo que teve o melhor desempenho foi o de hipermercados e supermercados, que ampliou em 1,9% o volume de vendas no mês. Como consequência, as ações do Pão de Açúcar dispararam 6,06%. Apesar do avanço neste último pregão, os papéis da rede de supermercados têm tido desempenho bem abaixo do Ibovespa neste ano, acumulando alta de 10%, enquanto o Ibovespa já subiu 17,7%.


As informações são do portal EXAME.