Construção Civil
Com alta nas taxas em três estados, a região Centro-Oeste ficou com a maior variação em novembro na construção civil

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) variou 0,11% em novembro, uma queda de 0,08 ponto percentual (p.p.) em relação ao mês anterior (0,19%) e de 0,13 p.p em relação a novembro de 2018 (0,24%). Essa taxa, registrada também no mês de maio, foi a menor observada em 2019. O acumulado no ano ficou em 3,80%. Nos últimos doze meses, o Sinapi apresentou resultado de 4,03%, abaixo dos 4,17% registrados nos doze meses imediatamente anteriores.

O custo nacional da construção civil, por metro quadrado passou para R$ 1.156,31, sendo R$ 606,41 relativos aos materiais e R$ 549,90 à mão de obra. Em outubro, o valor era de R$ 1.155,01. 

A parcela dos materiais registrou a menor variação do ano, 0,17%, caindo 0,08 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,25%) e 0,19 ponto percentual se comparado a novembro de 2018 (0,36%). A parcela da mão de obra, com 0,05%, também apresentou queda, de 0,06 ponto percentual tanto em comparação ao mês anterior, como a novembro de 2018.

De janeiro a novembro, os acumulados são de 4,67% para materiais e 2,86% para mão de obra. Em doze meses, somam-se 5,15% (materiais) e 2,81% (mão de obra). 

Região Centro-Oeste tem a maior variação mensal

Com alta nas taxas em três estados da União, a região Centro-Oeste ficou com a maior variação em novembro: 0,45%. Nordeste (0,10%), Sudeste (0,08%) e Sul (0,14%) registraram altas menos expressivas. Apenas o Norte registrou variação negativa, de 0,08%. Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.167,41 (Norte); R$ 1.065,52 (Nordeste); R$ 1.205,14 (Sudeste); R$ 1.222,41 (Sul) e R$ 1.163,57 (Centro-Oeste). Com alta na parcela dos materiais, e sob impacto de reajuste captado nas categorias profissionais, Goiás, com 1,01%, foi o estado que apresentou a maior variação mensal, entre todos os demais do país.


Fonte: Agência de Notícias IBGE