Por Painel S.A, Folha de S.Paulo. A indústria da construção reuniu nesta terça-feira (26) cerca de 140 pessoas do setor para discutir o projeto de compra de vacinas da Covid pela iniciativa privada, segundo José Carlos Martins, presidente da Cbic (associação que reúne as empresas). A entidade fez a consulta para saber se há apoio à ideia e espera um retorno até quinta (28). Outras indústrias também convocaram videoconferências para tratar do tema, mas levantaram resistências entre os próprios empresários.

Fernando Pimentel, presidente da Abit (têxtil), está coletando opiniões no setor sobre preços e outros aspectos. Ele afirma que já recebeu avaliações prós e contra.

O movimento das empresas para adquirir 33 milhões de doses da AstraZeneca, revelado pela Folha na segunda, ainda continua, segmentado por setores, apesar de a farmacêutica negar que fará a transação.

Além do ceticismo em relação a logística e preço alto, há resistência de multinacionais preocupadas com um eventual impacto negativo de imagem e questionamentos de outros países onde atuam.

Alguns têm medo de passar a impressão de que estariam furando a fila da vacina. O presidente da Cbic rebate o argumento: “pelo contrário, se as empresas comprassem, estariam diminuindo a fila, porque uma parte iria para o SUS”.