No Condomínio 4.0, as novas tecnologias simplificam a gestão, trazendo maior segurança para quem mora ou trabalha nos edifícios.

A era da chamada Internet das coisas – IoT também chegou ao universo dos empreendimentos residenciais de forma ampla e eficaz, principalmente no que diz respeito às questões da automação, segurança e controle de acesso de moradores, funcionários, visitantes e prestadores de serviços. Os condomínios 4.0 são os empreendimentos que já estão se adaptando ou já se adaptaram ao futuro. O termo é uma consequência das mudanças profundas que vieram com a 4ª revolução industrial, iniciada na Alemanha em 2011, adotado para inúmeros setores e disseminado por todo o mundo.

Essa nova era traz mudanças significativas ao mercado e ao modo como vivemos nossas rotinas, seja no trabalho ou em casa. As transformações são técnicas, mas também culturais, pois significam mudanças de atitudes e hábitos.

No Condomínio 4.0, as novas tecnologias simplificam a gestão, trazendo maior segurança para quem mora ou trabalha nos edifícios.

A transformação digital deve ser vista como uma aliada, pois além do fator segurança também pode gerar economia com despesas em diferentes setores, desde folha de pagamentos, encargos trabalhistas, até contas de consumo de água, eletricidade e Internet.

Antes de abordarmos exemplos da era dos condomínios 4.0, vale reforçar que para que o empreendimento esteja compatível com a implantação de ferramentas tecnológicas é necessário considerá-las na estrutura, ainda na fase do projeto inicial, no SIS – Sistema Integrado de Segurança, parte do Plano Diretor de Segurança, possibilitando ajustes futuros se necessário. Tais medidas auxiliam a garantir que serão adotadas as ferramentas compatíveis com o que foi previsto, além de valorizar o empreendimento.

Podemos dizer que esse processo deve respeitar o projeto de automação predial, em que são verificados os grupos de recursos aplicáveis no tipo de construção que será feita. Assim será possível analisar desde o controle das instalações elétricas gerais, até sistemas de elevadores e de CFTV por exemplo.

Soluções tecnológicas

Uma das principais inovações tecnológicas utilizadas por condomínios 4.0 é a Portaria Remota, que utiliza dispositivos eletrônicos para um rígido controle de acesso. O acesso é controlado utilizando câmeras de segurança de alta definição e sistemas de controle ligados a uma central de monitoramento que recebe e analisa as imagens, garantindo um controle mais efetivo das pessoas no condomínio. Esse tipo de portaria dispensa o uso de chaves pelos moradores, que passam a acessar o condomínio de maneira rápida e segura. A ação também pode ser feita por meio de QR Code gerados em aplicativos, bluetooth, NFC ou ainda, reconhecimento facial.

Já existem robôs com câmeras que fazem as rondas e enviam as imagens para uma Central de controle, e esta quando necessário, pode assumir o controle do robô e até falar remotamente com um condômino, visitante ou abordar um intruso.

Armários inteligentes

A tecnologia favorece até mesmo a adoção de um sistema inteligente de recebimento e armazenamento de entregas e encomendas. Imagine poder fazer a gestão das encomendas nos condomínios de maneira prática e segura. Já existem dispositivos quer permitem que zeladores ou entregadores possam depositar a mercadoria ou correspondências em um locker com fechadura eletrônica. Assim que uma encomenda é armazenada, o morador é notificado pelo aplicativo de acesso ao condomínio e o compartimento é aberto com o mesmo dispositivo que o morador usa para entrar e sair do condomínio. Mas para que isso tudo seja possível é necessária uma adequação no projeto arquitetônico, assim como no layout do ambiente onde será instalado.

IOT – Internet of Things (internet das coisas) e dispositivos inteligentes

Uma solução de automação e aperfeiçoamento de equipamentos que pode, entre outras ações, acionar praticamente todos os componentes eletrônicos remotamente, como iluminação, ar condicionado, bombas de piscina, bombas d’água, entre outros. O controle é feito por meio de aplicativo ou diretamente da central de monitoramento remoto. Pode ainda programar a hora que as luzes da garagem devem ser acesas ou apagadas, por exemplo, se tornando um aliado na economia.

Acesso autônomo

Esqueça o modelo tradicional de guarita com um porteiro. O morador é quem autoriza a entrada dos visitantes via telefone, link ou aplicativo no celular, podendo até mesmo destravar o portão à distância. Assim, o visitante recebe um código e pode acessar o condomínio com muito mais agilidade e segurança.

Sistema de alarmes

Os modernos sistemas de alarme podem funcionar integrados com as câmeras de segurança e são muito mais precisos na identificação de possíveis invasores ou indivíduos que tentem acessar ambientes privados. Todo o acompanhamento é feito remotamente via sistema integrado de CFTV, cujas câmeras também podem funcionar como sensores através de Video Analysis.

Gestão de informações na nuvem

Organiza todas as demandas, informações e registros do condomínio, agilizando e otimizando os processos. Uma ferramenta valiosa na gestão de comunicação e processos internos.

Drones

Eles ganham cada vez mais espaço com sua versatilidade e nessa área são utilizados para fazer a vigilância dos perímetros dos condomínios 4.0, por serem totalmente autônomos. O equipamento se desloca de sua base assim que recebe um sinal de invasão, se dirigindo até o perímetro invadido, para monitorar o espaço. Além disso, o equipamento fica dentro do condomínio fazendo rondas conforme programação.

A questão é que nem sempre é fácil integrar tantas ferramentas diferentes a um processo seguro, viável, rentável e que gere resultados positivos ao empreendimento. Por isso a consultoria de segurança é importante ainda na fase inicial, auxiliando na elucidação de dúvidas, levantamentos e estudos técnicos, orientando na tomada de decisão e na escolha dos melhores recursos a serem adotados.

Algumas dessas decisões precisam ser tomadas ainda na fase de desenvolvimento do Plano Diretor de Segurança, fazendo com que o empreendimento comece de forma correta e segura. Além disso é necessário considerar as autorizações e aprovações junto aos órgãos públicos, pra que um pré-projeto executivo seja devidamente elaborado por um engenheiro juntamente à consultoria, determinando quais recursos eletrônicos serão trabalhados e assim proporcionar segurança aos usuários. Para saber mais conte com o apoio dos nossos especialistas.