Business People Meeting Planning Analysis Statistics Brainstorming Concept

Planejamento Estratégico é essencial para atingir os objetivos pretendidos!

 

No dia a dia acabamos tão envolvidos com as atividades de rotina que acabamos não separando um tempo para planejar estrategicamente o desenvolvimento de nossa empresa. Sabemos que estamos atualmente em um momento desfavorável na economia do país, e se não estivermos preparados, teremos menos chances de atingir nossos objetivos.

 

Planejamento EstratégicoPara um bom planejamento estratégico, três etapas são sugeridas: O entendimento do contexto no qual a empresa está inserida e como isto pode interferir nas atividades, conhecer a empresa em si – Financeiro, Estrutura Física, Recursos Humanos, Concorrência, e Maturidade de gestão e controle, e o planejamento das ações e investimentos dentro de um cronograma.

 

Contexto atual e objetivos:

Devemos inicialmente entender o ambiente na qual sua empresa irá atuar – estas informações são obtidas ao se ler jornais e revistas, acompanhar os sites do setor – as redes sociais hoje são uma ferramenta importante de comunicação em massa, participar de associações não só como ouvinte e sim atuar em suas atividades como grupos de trabalho, pesquisas e posicionamento politico – só assim seu setor ganhará força e reconhecimento, e conversar com os pares.

Devemos ainda definir os objetivos da empresa para 2018: Cada empresa tem seus próprios objetivos. E não vale dizer “Quero crescer”. Crescer significa aumentar o faturamento em x%, ou conseguir mais y clientes, ou realizar z projetos. Pode ser um objetivo só manter-se no mercado – em um momento instável da economia, pode ser diminuir de tamanho para restringir atuação a um público mais específico, pode ser ainda juntar-se com outras empresas. Importante aqui definir as metas: Quanto quer crescer, ou aumentar no faturamento, ou quanto vai pagar das dívidas!

Conhecer a empresa:

Financeiro:

É preciso entender os números da empresa. Quais os gastos fixos sua empresa possui, quais os bens e propriedades, quais custos já estão definidos, qual o faturamento previsto e quanto já está vendido, quais as possibilidades de diminuição de gastos ou aumento de lucro, ou se é necessária a regularização de algum aspecto.

Estrutura:

Qual o espaço físico que a empresa possui – necessita reformas ou manutenções? Vai ampliar as instalações? Precisa instalar nova infraestrutura? Mais postos de trabalho? Como estão os equipamentos: suportam a ampliação prevista? Já estão desatualizados? Precisa comprar ou renovar licenças de programas?

Recursos Humanos:

Como está seu pessoal: Qual o time que você tem, se algum estagiário vai se formar, se precisa mais gente, ou algum conhecimento específico. Vai diminuir o time – já verificou o passivo trabalhista – já sabe quando vai dispensá-lo? Como está a moral do time? Estão com férias planejadas ou atrasadas?

Concorrência:

Houveram alterações importantes em relação aos clientes, novas empresas ou novos produtos da concorrência? Você vai atuar em alguma nova área – o que precisa aprender ou alterar para permitir? Já pensou em exportar – precisa se preparar. Sabia que a AsBEA – Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura assinou convênio com a APEX Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, visando a construção e promoção da imagem da arquitetura brasileira, assim como a exportação de serviços deste setor? O Programa chama-se Built by Brazil e você pode participar!

Maturidade de gestão e controle:

Precisa investir em melhoria de processos para aumentar a produtividade? Implantar novas ferramentas de controle? Definir como fará a gestão da empresa com os novos funcionários ou a nova atividade prevista? Aqui fica minha sugestão de contratar um Consultor: Ele saberá como aplicar as melhores práticas, buscar conhecimento no mercado, e apoiar no desenvolvimento, implementação e criação de ferramentas e indicadores de acompanhamento.

Planejar e Implementar:

Agora sim, com todas estas informações é possível planejar o que vamos fazer, quanto vai custar e quando vamos fazer cada atividade. Uma observação importante: O planejamento estratégico não deve ser feito uma vez no começo do ano e depois arquivado na gaveta, e nem impresso a ferro e fogo na parede e depois seguido à risca. Um bom planejamento estratégico deve permitir ser revisto periodicamente, medido através de indicadores específicos para sua empresa, e replanejado ou ajustado sempre que necessário. Ele deve servir de linha guia para a tomada de decisões estratégicas da empresa, de modo a atingir com mais eficácia os objetivos traçados anteriormente!

E então, vamos começar? Se quiser ajuda, entre em contato, podemos conversar a respeito!

Grande Abraço, e um bom 2018 estrategicamente planejado!!!

#gestãolegal

Barbara.

Arquiteta e Gerente de Projetos, MBA, PMP e MRICS

Atualmente exerce Consultoria Independente.

20 anos de experiência no Desenvolvimento de Projetos no setor da Construção

4 anos de experiência em Auditoria, Gestão e Controle de Projetos de Engenharia e Construção na PwC