Por Alessandra Saraiva e Lucianne Carneiro, Valor PRO. A alta de preços de material da construção deve continuar e afetar preços de imóveis, apontam especialistas consultados pelo Valor. Para os próximos meses, o cenário traçado pela gestora de investimento Rio Bravo e pela Tendências Consultoria para o setor de construção civil é de alguma desaceleração do ritmo de alta, mas com continuidade da pressão de custo para indústria.

“O minério e o aço continuarão com preços elevados. Vemos alguma desaceleração na inflação da construção, mas não deflação. Ou seja, o patamar continuará alto”, afirmou João Leal, economista da Rio Bravo.

A projeção de Samanta Imbimbo, economista responsável pela cobertura do mercado de construção civil na Tendências Consultoria, é que o INCC-DI fique em 9,9% em 2021, com alta de 15,2% do INCC-DI de material, equipamentos e serviços e de 4,9% do INCC-DI mão de obra. Até abril, dado mais atualizado desse indicador, o INCC-DI subiu 5,08% no ano.