Agora é hora de falar de riscos. Quem já esteve comigo em encontros de consultoria empresarial e coaching sabe que gosto sempre de incluir no início do papo o significado e a origem das palavras. É a partir do que significa cada coisa em nossas mentes que a condução da vida se faz para cada um de nós. Há coisas que nem sabemos prontamente dizer porque sentimos ou desejamos ou ainda porque recusamos nas nossas vidas pelo simples fato de desconhecermos conscientemente de que forma foi aprendido, imputado em nós ou até mesmo porque herdamos o significado e eles estão instalados na memória de nossas células.

Algumas pessoas, na maior parte do tempo, associam risco com perigo e ao ouvir a palavra sentem medo e paralisam o desejo de seguir, algumas outras pessoas prontamente desejam o risco pela associação da adrenalina que causa, outras correm do risco por achar que deve ser completamente evitado e talvez possamos ser todas essas pessoas em alguns momentos da vida, para determinados riscos.

A questão dos riscos

  • O quanto você tem deixado de viver mais do que está vivendo por não saber o que a palavra risco significa para você?
  • O que a palavra risco faz você sentir?
  • O quanto você está disposto a ressignificar e ajustar o sentido do risco para aumentar suas conquistas?
  • O que a palavra risco pode fomentar ainda mais em ações positivas em sua história de vida?
  • Valerá a pena adicionar a gestão do risco para viver o que tanto deseja?

Há dicionários que dizem que risco significa probabilidade de perigo, há dicionários que dizem que riscos significa ameaça para o homem, mas há dicionários que dizem que risco é ousadia e ousadia é arrojo, coragem e coragem é a virtude que põe cor+age! Fica bom para você pensar em risco como o contrário da covardia? Fica bom para você incluir o risco como a ação apesar do medo? Fica bom associar o risco como a alegria de ter coragem ou cor+ação na vida? Pensar em gestão de riscos com estes significados mais reestruturados sem dúvida levará você a mais conquistas do que antes.

Como engenheira, auditora, consultora de ISO 9001 e PMI e coaching de vida de pessoas e vida de empresas sugiro que você certifique se os riscos que julga ter em suas empreitadas estão de fato do tamanho que poderiam estar. Um toque de audácia, com prudência, pode te levar a maiores conquistas. Não corra do risco! Inclua-o.

Um breve histórico

Dizem que os exploradores de mares dos séculos XV e XVI deram expressão a palavra risco. Na época, eles se lançavam em viagens, em mares desconhecidos que os levavam as partes do mundo. Maravilhoso pensar que risco era sinônimo de descoberta e que associado a vontade de trazer na bagagem tudo aquilo que ainda não era conhecido dava a eles o ânimo necessário para usufruir do prazer e do contentamento de depois compartilhar o antes nunca desbravado.

Podemos sim viver mais do mesmo todos os dias. Podemos não arriscar, mas há de fato graça em nos mantermos presos naquilo que nos é conhecido em um mundo que não para? Encarar os riscos para evoluir, alongar o pensar, ajustar o sentir, faz mais do que o que já está feito traz felicidade de existência para você?

Ter histórias diferentes para contar e buscar ampliar o belo da vida devem ser sempre ingredientes em nosso cardápio de legados. Refletir sobre o que nos limita e o que nos impede de realizar é a possibilidade mais inteligente que podemos experimentar constantemente. Certeza. Deixar de colecionar momentos ricos de coisas a construir e compartilhar faz a vida pequena para quem quer que seja. Se o risco te faz sentir que a vida não é grande, não é feliz, ouse modificar seu significado. É possível, está garantido. Há diversas técnicas de coaching, PNL, hipnoterapia, constelação e administração moderna de vida que te levam aonde quiser ir.

Se sentir medo do risco de ir até lá, busque todo tipo de apoio para usar o medo como uma mola que te lança até as alegrias que quer viver e utilize sempre das suas plenas capacidades de pesquisar, planejar, programar, organizar e visualizar o que deseja. Para esta viagem de 22 dias, eu e meu marido estivemos antes da viagem pesquisando e planejando por 4 ou 5 dias. E, durante a viagem, revisitamos a pesquisa e o planejamento para pequenos ajustes, sem apego ao antes planejado, com ainda mais vontade de utilizar os recursos que nos estavam disponíveis.

Segredos para desfrutar dos riscos

Ah sim, os segredinhos para obter alegria no risco, desfrutando do prazer que ele proporciona?

  1. Mergulhe em sua semântica e saiba exatamente o que significa risco para você ou para sua empresa;
  2. Liste ao menos 3 pontos de merecimento disto que deseja e que, claro, impacta em riscos;
  3. Declare, se possível em uma folha de papel ou nas telas de seus dispositivos, o que irá ganhar com a conquista – o motivo pelo qual valerá a pena o risco;
  4. Visualize-se em riqueza de detalhes vivendo o que deseja. Use o pensar, use o sentir. Perceba-se completamente. Perceba como o mundo ao redor fica com sua conquista;
  5. Pesquise, planeje, programe, organize como serão os passos, o que irá precisar para tal caminho, quem irá junto, de que forma, etc…;
  6. Reflita sobre os riscos deste caminho, enumere o que está ao seu alcance para coibir o indesejado, crie planos de contingência para cada possibilidade; e
  7. Permita-se sair dos planos inicialmente traçados se necessário ou se melhor for.

Afinal, espetaculares coisas acontecem quando vivemos um estado de espírito de que o “depois” pode ser ainda melhor do que aquilo que pensamos e imaginávamos. Em nossos minutos seguintes de vida, via de regra, estaremos sempre mais experientes do que no passado e então a alegria de que é no futuro e naquilo que ainda não aconteceu que teremos mais do que no passado é o nosso mais alegre presente. Viva o risco. Enjoy meus queridos!

Artigo anteriorFaça as melhores escolhas na hora de fazer a paginação do piso
Próximo artigoCuritiba se destaca em obras com selo Zero Energy
Formada em Engenharia Civil com especialização em Administração de Empresas pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo. É Técnica em Edificações pela Escola Técnica Federal de São Paulo. Fez o Programa de Desenvolvimento de Executivos (PDE) na Fundação Dom Cabral, em Minas Gerais, Matemática Aplicada a Vida e Gestão de Projetos no PMI. Possui formaçôes e certificações internacionais em Coaching, Meta Coaching (ACMC) e Practitioner of Meta-States - AGP (Acessando o seu Gênio Pessoal) - Coaching Genius (ISNS) - Neurossemântica. Formou-se também em Constelação Sistêmica Empresarial e de Vida, Hipnoterapia, Feng Shui e em auditorias de Sistemas de Gestão Integrado - Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança de acordo com as normas internacionais ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001 e com o PBQP-H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat).