Em um post anterior, falamos sobre a importância de se escolher o assento correto para o modelo de vaso do seu imóvel. Nesse artigo vamos falar mais precisamente sobre os pontos de instalação de um vaso convencional e de um vaso com caixa acoplada.

Bacia convencional

Como pode ser visto nessa imagem, o vaso comum tem o ponto de água que é acionado por uma válvula que libera a água para ir para o vaso e assim realizar a descarga. Outro ponto necessário é o de esgoto, ele geralmente fica na parte de baixo e é por ele que a água da descarga vai para a tubulação de esgoto.

Bacia suspensa: A bacia com válvula de descarga também pode ser suspensa, e nesses casos ela possui a saída de esgoto pela parte de trás, com 19 cm de altura em relação ao chão, logo abaixo da entrada de água fria.

Bacia com caixa acoplada

A instalação de bacia de caixa acoplada é mais barata e o seu consumo também. Ela economiza mais água, pois a descarga é feita dentro da caixa, necessitando de um rabicho que vai alimentar a caixa com água. Depois de feita a descarga, a água segue para a tubulação de esgoto por um ponto que fica na parte de baixo.

Atenção

Como visto nas imagens, a distância dos pontos de instalação de um vaso variam bastante entre o modelo com e sem a caixa acoplada (principalmente o ponto de esgoto). Então caso você queira trocar o vaso convencional por um com caixa acoplada, tenha em mente que será necessário fazer um obra bem grande e vai dar bastante trabalho.


Fonte: Pró-Reforma

Artigo anteriorRobôs montam armaduras para estruturas de concreto armado
Próximo artigoPor que quanto mais água, menos resistente é o concreto?
Arquiteta e Urbanista pela (FAU/UFRJ + Universidade do Porto). Mestre em Engenharia de Produção (COPPE/UFRJ). Doutoranda em Arquitetura (PROARQ/UFRJ) Criadora da Pró-Reforma (www.pro-reforma.com), ferramenta de apoio à tomada de decisão em projetos da CUG Consultoria, startup residente da Incubadora de empresas da COPPE/UFRJ. Professora substituta do Departamento de Projeto de Arquitetura do curso de graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UFRJ de 2016 a 2018, ministrando disciplinas de projeto de arquitetura, projeto executivo e projeto de interiores, além disciplina eletiva “relação teoria e prática”, com foco no custo das decisões arquitetônicas. Professora do programa de Educação Continuada do IAB/RJ – IAB Compartilha. Professora da plataforma de ensino a distância EstudeAE Profissional com experiência no desenvolvimento de projetos e no acompanhamento de obras de construção e reformas desde 2007, tendo ocupado o cargo de gerente de projetos na Mareines+Patalano Arquitetura, onde atuou de 2005 a 2013, tendo participação efetiva em todos os projetos desenvolvidos pelo escritório nesse período. Experiência na execução de obras de empreendimentos imobiliários de 2007 a 2009, com atuação no canteiro em todas as etapas de execução, desde as fundações até a entrega da obra. Vencedora do prêmio Arquiteto do Amanhã (IAB/RJ).