Na foto, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Por Wagner Gomes, O Estado de SP. O governo vai tentar, mais uma vez, debater com as siderúrgicas e seus principais clientes medidas para melhorar o abastecimento de aço no País. O secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, chamou os usineiros para uma conversa na quarta-feira. Representantes dos setores de máquinas e equipamentos, automotivo e eletroeletrônicos também foram convidados.

A reunião tem acontecido periodicamente desde o ano passado. Além do desabastecimento, o debate tem girado em torno da alta nos preços e dos prazos de entrega. Por enquanto, nenhuma decisão foi tomada, mas os construtores civis já pediram a redução de alíquota de importação para suprir a falta do produto. Após uma pesquisa, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) diz que a percepção da maioria das empresas do setor é a de não estar recebendo aço em quantidade suficiente.

O presidente do Instituto Aço Brasil, Marco Polo Lopes, nega desabastecimento, diz que o problema pode estar localizado em pequenas e médias empresas que não conseguem encontrar o insumo em distribuidores. Além disso, o preço do aço tem aumentado no mundo inteiro.