No primeiro semestre, as altas acumuladas foram de 16,73% (materiais) e de 4,70% (mão de obra). Em doze meses, os acumulados chegaram a 34,45% (materiais) e 6,02% (mão de obra).

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) foi de 2,46% em junho, a maior taxa da série com desoneração da folha de pagamentos, iniciada em 2013. O resultado ficou 0,68 ponto percentual acima da taxa de maio (1,78%).

As taxas apresentaram alta em todas as regiões, sobretudo no Sul (3,80%), puxada pela alta no Paraná (5,42%).

O acumulado no ano foi de 11,38% e, nos últimos doze meses, de 20,92%. Em junho de 2020 o índice havia sido de 0,14%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado passou de R$ 1.387,73 em maio para R$ 1.421,87 em junho, sendo R$ 829,19 relativos aos materiais e R$ 592,68 à mão de obra. A parcela dos materiais subiu 2,36%, variação 0,30 ponto percentual menor que a do mês anterior (2,66%). Em relação a junho de 2020 (0,17%), houve aumento de 2,19 pontos percentuais.

Já a parcela da mão de obra subiu 2,60%, com alta de 2,02 pontos percentuais em relação a maio (0,58%) e de 2,50 pontos percentuais comparado a junho do ano anterior (0,10%). Puxaram essa alta os dissídios coletivos de São Paulo, que registrou a maior taxa do ano.

No primeiro semestre, as altas acumuladas foram de 16,73% (materiais) e de 4,70% (mão de obra). Em doze meses, os acumulados chegaram a 34,45% (materiais) e 6,02% (mão de obra).

Região Sul registra maior variação mensal

Com a alta da parcela dos materiais em todos os estados, e o acordo coletivo registrado no Paraná, a Região Sul teve a maior variação regional em junho, 3,80%.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 1,14% (Norte), 1,92% (Nordeste), 2,83% (Sudeste) e 1,96% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.382,99 (Norte); R$ 1.343,47 (Nordeste); R$ 1.482,71 (Sudeste); R$ 1.493,35 (Sul) e R$ 1.379,39 (Centro-Oeste).

Paraná lidera as altas, com variação de 5,42%

Entre os estados, o Paraná apresentou a maior variação mensal, 5,42%, também influenciado pela alta na parcela dos materiais e o acordo coletivo. Em seguida vieram Mato Grosso do Sul (4,65%), Pernambuco (4,22%) e São Paulo (3,87%), também sob impacto da alta dos materiais e categoria profissionais.

O SINAPI, criado em 1969, tem como objetivo a produção de informações de custos e índices de forma sistematizada e com abrangência nacional, visando a elaboração e avaliação de orçamentos, como também acompanhamento de custos.

SINAPI – JUNHO DE 2021
COM desoneração da folha de pagamento de empresas do setor


ÁREAS GEOGRÁFICAS
CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2JUN/94=100MENSALNO ANO12 MESES
BRASIL             1421,87711,572,4611,3820,92
REGIÃO NORTE       1382,99689,081,147,2316,68
Rondônia           1428,86796,803,697,2815,00
Acre               1467,12778,761,474,9312,60
Amazonas           1349,11660,501,546,3017,04
Roraima            1423,66591,330,666,2415,43
Pará               1376,77660,040,538,2018,17
Amapá              1343,30652,460,786,0012,63
Tocantins          1420,48746,791,388,6517,65
REGIÃO NORDESTE    1343,47725,641,9211,8423,08
Maranhão           1356,40714,551,0011,6418,36
Piauí            1301,86865,190,687,4617,02
Ceará              1297,48749,421,139,7119,13
Rio Grande do Norte1261,25635,712,8111,6519,38
Paraíba            1362,31753,371,6410,7821,33
Pernambuco         1322,03706,834,2213,6325,53
Alagoas            1288,24643,610,9311,4821,58
Sergipe            1245,76661,950,5811,1924,01
Bahia              1416,43749,711,9213,3028,83
REGIÃO SUDESTE     1482,71709,952,8312,3321,08
Minas Gerais       1402,70771,941,9315,1124,62
Espírito Santo     1312,93728,393,4211,8522,28
Rio de Janeiro     1552,27707,451,4810,6517,30
São Paulo          1516,62685,023,8711,5720,68
REGIÃO SUL         1493,35714,143,8011,8321,37
Paraná            1499,18716,905,4215,2025,39
Santa Catarina     1576,54853,873,609,5317,95
Rio Grande do Sul  1403,39636,941,238,6418,30
REGIÃO CENTRO-OESTE1379,39704,181,969,4017,21
Mato Grosso do Sul1349,32634,634,6512,6419,68
Mato Grosso        1364,91778,701,7111,2616,48
Goiás              1359,26718,131,046,2716,47
Distrito Federal   1447,51639,291,809,3217,60

SINAPI – JUNHO DE 2021
SEM desoneração da folha de pagamento de empresas do setor


ÁREAS GEOGRÁFICAS
CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2JUN/94=100MENSALNO ANO12 MESES
BRASIL1512,90756,762,4610,9819,91
REGIÃO NORTE1465,28730,221,126,8915,82
Rondônia           1519,87847,523,797,1714,54
Acre               1558,09827,031,594,8512,10
Amazonas           1429,09699,881,496,0416,06
Roraima            1516,56629,740,625,8914,47
Pará               1456,12697,850,507,7117,21
Amapá            1427,46693,270,735,9612,18
Tocantins          1503,00790,541,298,2016,61
REGIÃO NORDESTE    1423,79769,141,9111,4021,95
Maranhão           1439,37758,490,9311,2917,55
Piauí            1379,81916,780,647,2616,18
Ceará              1370,54791,170,979,1318,03
Rio Grande do Norte1336,60673,492,8211,2618,49
Paraíba            1447,66800,641,5510,4520,71
Pernambuco         1402,67749,864,4213,2724,53
Alagoas            1362,51680,860,8810,9220,32
Sergipe            1317,20700,100,5510,6222,53
Bahia              1501,68794,271,9212,8227,22
REGIÃO SUDESTE     1582,39757,102,8411,8820,01
Minas Gerais       1486,41817,691,8214,3523,17
Espírito Santo     1395,90774,263,4211,3320,93
Rio de Janeiro     1665,93759,771,4010,4816,59
São Paulo          1621,67732,473,9711,1819,71
REGIÃO SUL         1594,98762,523,8611,4220,33
Paraná             1605,00767,465,6614,8424,25
Santa Catarina     1689,32914,923,479,1117,05
Rio Grande do Sul  1487,25675,091,178,1117,25
REGIÃO CENTRO-OESTE1465,41747,981,909,1016,55
Mato Grosso do Sul1436,37674,954,7612,4619,03
Mato Grosso        1450,54827,371,6110,9615,92
Goás              1443,22761,710,985,9115,73
Distrito Federal   1536,21678,571,719,0016,92

Fonte: Agência IBGE Notícias.