Quando vamos trocar a porta da nossa casa, temos que nos atentar para as condições dela: como está a fechadura, maçaneta, a folha da porta e a pintura. Dependendo da situação, uma pintura já basta, mas tem vezes que é necessário comprar uma porta nova. Nessas horas você deve se perguntar: mas eu pinto ou coloco as ferragens primeiro?

Só uma pintura basta

Nessa situação, você deve se atentar para dois fatores: a tinta que você vai pintar tem que ser própria para o material da sua porta e também deve tirar todos os elementos externos que compõem a fechadura (contra testa, falsa testa, rosetas, espelho e maçaneta).

Depois de tirar esses elementos e com a tinta certa comprada, você pode pintar. É aconselhado que pinte sem eles porque assim você diminui o risco do acabamento ficar comprometido. Quando terminar de pintar a porta, aí sim os elementos externos voltam para os seus lugares e a porta já está nova pronta para ser usada.

Colocando uma porta nova

Nessa situação é recomendado que primeiro a porta seja furada e instalada toda a parte interna da fechadura (lingueta, trinco, testa, cubo, cilindro ou miolo). Depois disso, ela tem que ser presa no batente, pintada e, por fim, toda a parte externa tem que ser instalada. Assim, o resultado no acabamento é bem melhor, pois a pintura não corre o risco de ser danificada quando as ferragens forem colocadas. E se deixar para pintar já com a fechadura, é necessário isolá-la com fita, o que geralmente compromete o acabamento.

Conclusão

O grande pulo do gato aqui está no fato de se atentar para sempre pintar sem as partes externas, pois assim se preserva a pintura e a fechadura, resultando num acabamento muito melhor.


Fonte: Pró-Reforma

Artigo anteriorEncontro Inovação na Construção é realizado pela Liga Vip
Próximo artigoConheça o estilo arquitetônico de 7 cidades históricas
Arquiteta e Urbanista pela (FAU/UFRJ + Universidade do Porto). Mestre em Engenharia de Produção (COPPE/UFRJ). Doutoranda em Arquitetura (PROARQ/UFRJ) Criadora da Pró-Reforma (www.pro-reforma.com), ferramenta de apoio à tomada de decisão em projetos da CUG Consultoria, startup residente da Incubadora de empresas da COPPE/UFRJ. Professora substituta do Departamento de Projeto de Arquitetura do curso de graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UFRJ de 2016 a 2018, ministrando disciplinas de projeto de arquitetura, projeto executivo e projeto de interiores, além disciplina eletiva “relação teoria e prática”, com foco no custo das decisões arquitetônicas. Professora do programa de Educação Continuada do IAB/RJ – IAB Compartilha. Professora da plataforma de ensino a distância EstudeAE Profissional com experiência no desenvolvimento de projetos e no acompanhamento de obras de construção e reformas desde 2007, tendo ocupado o cargo de gerente de projetos na Mareines+Patalano Arquitetura, onde atuou de 2005 a 2013, tendo participação efetiva em todos os projetos desenvolvidos pelo escritório nesse período. Experiência na execução de obras de empreendimentos imobiliários de 2007 a 2009, com atuação no canteiro em todas as etapas de execução, desde as fundações até a entrega da obra. Vencedora do prêmio Arquiteto do Amanhã (IAB/RJ).